sábado, 22 de dezembro de 2012

NATAL 2012

Mensagem de Natal

NATAL É QUANDO UM HOMEM QUISER

Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e comboios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão
                                                                                                                    José Carlos Ary dos Santos

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Dia Nacional do Pijama - 20 de novembro de 2012

O que é o Dia Nacional do Pijama?
O Dia Nacional do Pijama é um dia solidário feito por crianças que ajudam outras crianças. Neste dia, as crianças até aos 6 anos, nas escolas e instituições participantes, de todo o país, vêm vestidas de pijama para a escola e passam, assim, o dia, em atividades divertidas, até regressarem a casa. O Dia Nacional do Pijama realiza-se a 20 de novembro de cada ano. Este é um dia em que as crianças pequenas lembram, anualmente, a todos que uma criança deve crescer numa família. O Dia Nacional de Pijama é uma iniciativa e marca registada da Mundos de Vida. Na Escola Básica de Mirante dos Sonhos, o Jardim de Infância irá festejar este dia com atividades articuladas com a Biblitoeca Escolar. Irá ser explorada a obra "O bébe que não queria ir para a cama" de Helen Cooper de "
e a canção "Chegou o Soninho"

sábado, 10 de novembro de 2012

Festa de S. Martinho na EB de Mirante dos Sonhos

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Projeto "Dormir + para ler melhor"

O nosso agrupamento foi contemplado com a aprovação do projeto "Dormir+ para ler melhor". Agora mãos à obra! Todos a trabalhar! Há muito para fazer! Fica com esta canção de embalar.

domingo, 21 de outubro de 2012

22 DE OUTUBRO - DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR

História da CDU contada às crianças.
Depois de ouvires, procura nas prateleiras da biblioteca da tua escola. Descobre onde poderás encontrar os livros do teu interesse. Se não conseguires pede a um professor ou a um aluno mais velho pata te ajudar. Os "Amigos da Biblioteca" poderão dat-te uma ajuda preciosa. Procura-os.

sábado, 13 de outubro de 2012

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO

16 DE OUTUBRO DE 2012

"O Dia Mundial da Alimentação é celebrado no dia 16 de outubro de cada ano para comemorar a criação em 1945 da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO). Este Dia foi celebrado pela 1ª vez em 1981."

Descobre  os provérbios sobre alimentação

DO PRATO À BOCA...   A QUEM NÃO TEM DENTES.

DE GRÃO A GRÃO...     PERDE-SE A SOPA.

DEUS DÁ AS NOZES...  ENCHE A GALINHA O PAPO.

TOMA O LEITE...           É A MAIS APETECIDA.

A FRUTA PROÍBIDA... NÃO SE FAZEM OMOLETAS.

SEM OVOS...                  NÃO PERGUNTES DE QUE VACA É.


quarta-feira, 12 de setembro de 2012

REGRESSO À ESCOLA

A Biblioteca Escolar deseja a todos um bom regresso à escola. ANO NOVO, VIDA NOVA. Não te esqueças deste lema, importantíssimo para as tuas aprendizagens. A Biblioteca Escolar apoia-te no que precisares. Visita-a com regularidade e faz dela um porto de abrigo.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Novos livros na BE

Mais um livro novo na tua biblioteca a partir de setembro: "Rimas Perfeitas, Imperfeitas e Mais-que-perfeitas" de Alice Vieira
Sinopse: "Neste livro, são abordadas questões relacionadas com a conjugação de verbos, recorrendo-se a um conjunto de técnicas e estratégias motivadoras. Através da escrita de poemas, onde os tempos verbais são utilizados em função do conteúdo da história, a escritora demonstra como se pode ensinar gramática, nomeadamente os tempos verbais, de uma forma pedagógica e enriquecedora. Todos os poemas são diferentes. Uns têm mais humor e ironia. Outros, por seu lado, são mais melancólicos." Descobre o que nos diz O RATO DE BIBLIOTECA sobre este livro.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

2012/2013 - Novo Ano

Mais um ano escolar prestes a começar.
Reveem-se os amigos e os professores, fazem-se novas amizades.
A escola é um local de encontros e partilha.
Façamos deste novo ano escolar um ano diferente, onde as dificuldades sejam motivo de união e aprendizagem partilhada.
Só assim seremos capazes de seguir um rumo certo!

Bom início de ano!
Contribui para uma escola melhor.
Faz neste ano escolar algo diferente e supera-te a ti mesmo.

sábado, 23 de junho de 2012

S. JOÃO

Hoje é noite de S. João
No arrailar eu vou dançar,
De manjerico na mão,
Vou brincar até fartar.

No nosso Agrupamento,
Sardinhas não vai haver,
O ano já terminou,
Agora vou saltar e correr.

No dia de S. João,
Na escola não vou estar,
Mas com outros amiguinhos,
No Porto eu quero brincar.

O S. João é uma festa,
Uma festa popular
Com manjerico e alho porro,
Todos vão cantar e dançar.                                                Agrupamento Vertical de S. Lourenço
                                                                                                Biblioteca Escolar, junho 2012

terça-feira, 12 de junho de 2012

Santos Populares

As escolas básicas do 1º ciclo, num trabalho de articulação entre docentes das AEC, coordenadores de estabelecimento e docentes titulares de turma, levaram a cabo no Parque Urbano de Ermesinde, uma mostra das Marchas dos Santos Populares. Assistiram às mesmas, em representação da Camara Muncipal de Valongo, a Drª Trindade e Drª Ilda, em representação da Junta de Freguesia, Dr. Luis Ramalho, Direção do Agrupamento, Docentes, Assistentes Operacionais, Pais/ Encarregados de Educação, Alunos e comunidade local.
A coordenação da atividade esteve a cargo da Coordenadora de articulação curricular do 1º ciclo.
Aqui ficam alguns momentos vividos intensamente por todos.





terça-feira, 5 de junho de 2012

Encontro com o Escritor João Pedro Mésseder


    No dia 30 de Maio tivemos a visita do escritor João Pedro Mésseder ao nosso agrupamento. A nossa turma (4ºH) e as turmas do 4ºF e 4ºI participaram nesta atividade que foi realizada em articulação com a Biblioteca da Escola Sede e com a nossa Biblioteca.


    Ele falou-nos de alguns livros que já escreveu e apresentou-nos o último: «Gatos, Lagartos e outros poemas». Explicou-nos que escreveu este livro de poemas sobre vários animais porque é um apaixonado por estes, sobretudo por gatos.

   Foram colocadas ainda algumas perguntas, às quais respondeu sempre com muita simpatia e simplicidade.

   Quisemos também presenteá-lo também com a leitura de alguns dos seus poemas.

    Esta foi uma actividade muito especial e interessante.


Aqui estão algumas fotografias deste momento especial.









 
 


quinta-feira, 31 de maio de 2012

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA


DIREITOS DA CRIANÇA
I
Toda a criança
Deve ter uma nacionalidade,
Para haver esperança
E em todos igualdade.
II
A família é essencial
Para a proteção da criança.
Não lhe deve acontecer nada de mal,
Todos devem ter esta lembrança.
III
Todo o ser humano
A um nome tem direito,
Seja português ou angolano
Para sempre ter respeito.
IV
Para a criança crescer bem
Tem de ser alimentada,
Ser socorrida também
E ter família e morada.
V
À escola todos devem ir
Seja deficiente ou não.
Toda a criança tem direito a sorrir
E a ter uma boa educação.



OS DIREITOS DAS CRIANÇAS

As crianças têm direitos,

O 1º é o mais brilhante
Porque fala de raças
É o mais importante.

Todas as crianças
Têm o direito

De estudar e aprender
De saltar e de correr.

No orfanato ou na família
O direito é igual em cada criança
Um nome e uma nacionalidade
Assim podem ter esperança.

O quarto direito é:
Alimentação, moradia,
Assistência médica
E muita alegria.

Na escola pode haver
Crianças normais,
Crianças com deficiências
E com cuidados especiais.






VI
Para a criança é importante
Ter sempre o amor dos pais.
E em cada instante
A sociedade deve ajudar mais.
VII
Brincar, jogar e divertir
Com muita precaução,
Na vida também é preciso rir
Faz parte da boa educação.
VIII
         Em qualquer acidente
Primeiro, a criança é socorrida,
Para que calmamente
Não fique muito ferida.
IX
Há quem se aproveite
Do trabalho das crianças
Isto não pode ser bem aceite
E tem de haver mudanças.
X
 A criança deve ser compreendida
Para com justiça crescer
Pois em toda a sua vida
Nunca deve sofrer.

Escola Básica da Costa, trabalho produzido pelo 2ºC, em articulação com a BE





Em casa os pais
Devem dar aos filhos
Amor, felicidade,
Atenção e carinho.

As crianças têm que ter
Educação.
Pois, assim,
Aprendem a lição.

Os primeiros a socorrer
São os mais novos.
São tão frágeis
Em todos os povos.

O abandono e a exploração
Para as crianças é mau.
Quem as abandonar
Leva com um pau.


Todos nós
Temos direito a crescer,
Em compreensão e justiça
Entre os povos a valer.


Trabalho realizado pela turma do 4ºL, da Escola Básica de Saibreiras em articulação com a biblioteca escolar




A ÁRVORE DAS CRIANÇAS

Sou a árvore das crianças
E a minha função é lembrar
Que todas as crianças têm um nome
E direitos a preservar.

Não interessa a sua raça,
Cor, sexo ou religião
Dou-lhes abrigo seguro
Com afeto e dedicação.

A copa é uma sombra amiga
Proteger as crianças é fundamental
Para crescerem felizes     
E de forma integral.

Adoro que comam os meus frutos
E se deliciem com os seus sabores,
Que brinquem no meu tronco
E sejam bons amores.

Nenhuma criança no mundo
Fome deve passar,
Portanto, uma alimentação equilibrada
Enquanto eu cá andar


As folhas das minhas amigas
Dão chás medicinais
Ir ao médico com as crianças
É o dever dos pais.

As crianças diferentes
São sensacionais
Como as árvores variadas                                                    
Merecem cuidados especiais.

Cada criança que é educada
Com amor e compreensão
É uma flor que desabrocha
Na primavera da ilusão.

Nunca maltrates as crianças,
Pois são o nosso futuro
Dão o oxigénio de alegria
E o nosso ar puro.

Toda a criança deve crescer
Num ambiente de justiça e paz
Rodeada de solidariedade
Para ser um adulto capaz.

Trabalho realizado pela turma do 2ºE, da Escola Básica de Montes da Costa em articulação com a biblioteca escolar


terça-feira, 29 de maio de 2012

Atividades de Articulação entre Bibliotecas Escolares de Agrupamentos

No dia 28 de maio o Agrupamento de Sobrado brindou-nos com um teatro de fantoches sobre a lenda de S. João de Sobrado. Os alunos, com entusiamo, assitiram ao teatro e no final, em sala de aula, recontaram a lenda


A LENDA DE S. JOÃO DE SOBRADO






A filha do rei Mouro quando fez dezasseis anos ficou gravemente doente.

O rei desesperado, sem saber o que fazer, foi pedir a imagem de S. João aos Cristãos, com a promessa de o devolver após 5 luas.

A princesa ficou curada, mas o rei mouro não devolveu o Santo.

Passaram dez luas, os cristãos foram recuperar a imagem, mas o rei mouro não a quis devolver. Travou-se uma batalha entre Mourisqueiros e os Bugios. Os cristãos perderam e ficaram sem o seu rei.

Houve uma segunda batalha onde os cristãos levaram uma serpente gigante para assustar o seu inimigo. Os mouros ao verem tal bicho assustaram-se e fugiram. Ganharam os Bugios, recuperando a imagem do seu santo - O S. João – e o seu rei.







sábado, 19 de maio de 2012

Julio Pereira e a Cancao Da Joaninha


Julio Pereira e a Cancao Da Joaninha



CANÇÃO DA JOANINHA
A Lisboa, vamos a Lisboa.
Joaninha voa, voa.

Num cavalo baio
ou num alazão, vamos a Lisboa.
Joaninha voa, voa.

Num cavalo de Alter
ou do Turquestão, vamos Lisboa.                                               
Joaninha voa, voa.
http://imagens.us/gifs/joaninhas/index.php?imagem=Joaninhas%20%286%29.jpg&tag=maio
Num cavalo de pau
ou num garanhão, vamos a Lisboa.
Joaninha voa, voa.

Ah, que bom, que bom, que bom;
Voa, voa, vamos a Lisboa.

Eugénio de Andrade

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Timor Leste

Timor-Leste, oficialmente chamado de República Democrática de Timor Leste é um dos países mais jovens do mundo.
Tornou-se independente a 20 de maio de 2002. Domingo, dia 20, celebra 10 anos da sua independência.
Neste momento tem duas línguas oficiais, Português e Tetum (Língua simples, com palavras derivadas do português e do malaio). Em tetum, o nome de Timor-Leste é Timór Lorosa'e, ou o 'país do sol nascente'.

Informação retirada de: http://pt.wikipedia.org

Conta a lenda que Timor nasceu de um crocodilo.  
A Origem da Ilha de Timor

 Em tempos que já lá vão, vivia na ilha Celebes um crocodilo muito velho, tão velho que não conseguia caçar peixes no rio. Certo dia, apertado pela fome, decidiu aventurar-se nas margens, em busca de algum porco distraído que lhe servisse de refeição.                                                                                                                     Imagem de Miguel Pinheiro
Andou, andou, até cair exausto e desesperado, pois não encontrara nada e perdera as poucas forças que lhe restavam. Como havia de regressar à água? Valeu-lhe um rapaz simpático e robusto que teve pena dele e o arrastou pela cauda. Em paga pelo serviço prestado, o crocodilo ofereceu-se para o transportar às costas sempre que quisesse navegar. O rapaz aceitou e fizeram várias viagens juntos. Isso não impediu, no entanto, que sentindo fome de novo, o crocodilo se lembrasse de comer o companheiro. Antes, porém, quis ouvir a opinião dos outros animais e todos se mostraram indignadíssimos. Devorar quem o salvara? Que ingratidão! Envergonhado e cheio de remorsos, o crocodilo resolveu partir para longe e recomeçar a vida onde ninguém o conhecesse. Como o rapaz era o único amigo que tinha, chamou-o e disse-lhe: «Vem comigo à procura de um disco de ouro que flutua nas ondas perto do sol nascente. Quando o encontrarmos seremos felizes». Mais uma vez viajaram juntos, agora sulcando o mar que parecia não ter fim... a certa altura o crocodilo percebeu que não podia continuar. Deteve-se por um instante e logo o corpo se transformou numa ilha magnífica. O rapaz viu-se homem feito de um momento para o outro e verificou encantado que trazia ao peito o disco de ouro com que sonhara o crocodilo. Percorreu então as praias, as colinas, as montanhas, concluindo que ali realizaria o seu destino. Instalou-se para ficar e deu à ilha o nome de Timor, que significa Oriente.
 Ana Maria Magalhães
Isabel Alçada
http://www.citi.pt/cultura/politica/ramos_horta/origens.html


quarta-feira, 16 de maio de 2012

O livro da família

partilhado do youtube

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Dia Internacional da Familia - 15 de Maio

Canção da família Partilhado do youtube

sábado, 12 de maio de 2012

Dia Europeu da Obesidade Infantil





"Ricardo Carriço e APCOI – Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil –antecipam o Dia Europeu da Obesidade que se assinala este ano a 19 de Maio com o lançamento de um vídeo sobre o preocupante panorama português desta doença, que é já considerada a epidemia do século XXI a nível mundial, sendo que em Portugal um terço da população infantil tem excesso de peso."

domingo, 6 de maio de 2012

HOMENAGEM ÀS MÃES

video

6 DE MAIO - DIA DA MÃE

Poema à Mãe - Eugénio de Andrade

Poema à Mãe
Poema à Mãe
No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe

Tudo porque já não sou
o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos.

Tudo porque tu ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo
são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!




Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;

ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;

ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...

Mas — tu sabes — a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber,

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.

Eugénio de Andrade, in "Os Amantes Sem Dinheiro"
Tema(s): Mãe